Tecnologia desenvolvida na Unicamp é alternativa para o tratamento do câncer de próstata

Nanofármaco tem aplicabilidade ainda na redução de tumores na bexiga e mama Texto: Carolina Octaviano Foto: Antonio Scarpinetti Pesquisadores do Instituto de Biologia (IB) e do Instituto de Química (IQ) da Unicamp desenvolveram um nanofármaco já testado em animais e altamente promissor na redução de tumores. A boa notícia é que, além de apresentar bons

Nanofármaco mostra potencial para redução de tumor na bexiga

Inova busca empresa para licenciamento da tecnologia desenvolvida na Unicamp Texto: Carolina Octaviano Foto: Antonio Scarpinetti Pesquisadores do Instituto de Biologia (IB) e do Instituto de Química (IQ) da Unicamp desenvolveram um nanofármaco, já testado em animais com resultados altamente promissores, que demonstrou ter potencial na redução de tumores localizados na bexiga urinária. O fármaco estimula a

ViaFAUNA

Entre os anos de 2005 e 2013, foram registrados, em estradas paulistas, mais de 23 mil acidentes envolvendo animais na pista.  A Conservação do Ecossistema e a segurança dos passageiros foram as motivações para a ViaFAUNA, empresa-filha da Unicamp, desenvolver o Passa-Bicho, sistema que monitora a presença de animais silvestres e domésticos em estradas e rodovias,

Colírio desenvolvido na Unicamp previne doença ocular causada pela diabetes

Pesquisadores da Faculdade de Ciências Médicas (FCM) e da Faculdade de Engenharia Química (FEQ) da Unicamp desenvolveram um colírio capaz de prevenir e tratar a Retinopatia Diabética (RD), complicação que pode comprometer a visão de pessoas com diabetes. Este quadro é consequência de alterações neurais e vasculares na retina geradas pelo efeito tóxico de altas

Tecnologia possibilita diagnóstico de doenças mentais pela análise do sangue

Desenvolvido por meio de uma parceria entre pesquisadores da Unicamp e da Universidade Federal de São Paulo (Unifesp), método possibilita fazer o diagnóstico de doenças como esquizofrenia e transtorno bipolar, a partir da análise do sangue e utilizando biomarcadores, que são modificações biológicas e uma espécie de parâmetro mensurável capaz de diagnosticar doenças e determinar

Voltado para identificação biométrica, tecnologia testa a vivacidade de impressões digitais

Foto: divulgação Um sistema capaz de detectar se uma impressão digital é verdadeira ou falsa, a partir da vivacidade da amostra, foi desenvolvida por meio de uma parceria entre a Faculdade de Engenharia Elétrica e de Computação (FEEC) da Unicamp e o Centro de Tecnologia da Informação Renato Archer (CTI) e está disponível para licenciamento.