inovadores (2)

 

 

 

 

 

Alan Turing, o matemático que teve sua vida retratada no filme O jogo da imitação, ainda em cartaz em várias cidades do país, é um dos cientistas da computação que aparece em Os inovadores.

O livro de Walter Isaacson, lançado em 2014 pela Companhia das Letras, traça o percurso de criação do computador e da internet, desde as primeiras ideias ainda nos anos 1830.

São várias histórias de matemáticos, físicos, engenheiros. Homens e mulheres que vislumbraram a possibilidade de desenvolver um equipamento que realizasse operações de maneira mais rápida do que o ser humano seria capaz.

Ada Lovelace, filha de Lord Byron, Herman Hollerith, Vannevar Bush, Alan Turing e Grace Hopper são alguns dos personagens que aparecem no livro e que, ao lado de muitos outros, foram responsáveis pelo desenvolvimento de equações, fórmulas e operações e também pela construção e funcionamento dos equipamentos.

O livro destaca a participação das mulheres que, a partir de sua experiência na matemática, tiveram papel fundamental no desenvolvimento dos primeiros programas para as máquinas que estavam sendo criadas.

Diante dos diferentes perfis desses inovadores, o autor ressalta que, apesar das contribuições individuais, a história mostrou que os maiores avanços na área decorreram de trabalhos conjuntos, de equipes multidisciplinares. E também não deixa dúvida de que os recursos investidos por governos, com objetivos de desenvolver tecnologia para as guerras, principalmente, também foram fundamentais.

Trata-se de um belo retrato da revolução digital, sobre a história da ciência e da tecnologia, com bons exemplos de como funciona o sistema de ciência, tecnologia e inovação, além de representar um grande estímulo para aqueles que têm ideias e receiam empreender. Os casos de sucesso nessa área podem ser inspiradores, e as experiências relatadas podem mostrar os melhores caminhos a seguir.

 

Simone Pallone

Simone Pallone é editora executiva da Inovação - Revista de C,T&I. Jornalista, formada pela PUC-Campinas e doutora em Política Científica e Tecnológica, pelo Departamento de Política Científica e Tecnológica do Instituto de Geociências, da Unicamp. Atuou em veículos de comunicação de massa, jornais empresariais e revistas especializadas. Desde 2003 é pesquisadora no Laboratório de Estudos Avançados em Jornalismo (Labjor), do Núcleo de Desenvolvimento da Criatividade (Nudecri), do qual é coordenadora. É editora da revista ComCiência (Labjor e SBPC) e docente nos curso de Especialização em Jornalismo Científico e Mestrado em Divulgação Científica e Cultural, ambos oferecidos pelo Labjor.